Canudos ecológicos, prefira pela vida

Temos canudos ecológicos depois de muitos pedidos. Canudos de bambu e canudos de metal.

Canudo na tartaruga, prefira canudos ecológicos

Poderiam ser as garrafas e sacolas plásticas, mas quem ganhou visibilidade
mundial em 2018 como ameaça à vida marinha foram os canudinhos plásticos.
Aparentemente pequenos e inofensivos, ativistas ambientais os elegeram como
vilões dos oceanos devido, principalmente, ao uso banalizado do produto. No
entanto, dizer que é necessário repensar o uso do canudo não significa questionar sua utilidade, afinal sua existência data de 3000 a.C, quando eram feitos com tubo de ouro, canudos ecológicos portanto, hehe.

Quando o assunto é consumo consciente questionar-se sobre a real necessidade de utilizar/adquirir determinado produto é fundamental. Em se tratando de canudos, é possível afirmar que em muitas situações eles podem e devem ser dispensados. Mas naqueles momentos em que eles costumam ser bem práticos, como, por exemplo, tomar uma água de coco na rua, sua consciência pode ficar em paz se a opção escolhida for a reutilizável. Porém, também sob esse aspecto, é necessário observar a matéria-prima da qual o canudo foi confeccionado para que a escolha seja a mais sustentável possível.

As opções de canudos ecológicos
canudo ecológico de bambu

  • De papel: é uma opção mais rapidamente biodegradável, porém é descartável, ou seja,
    muitos recursos naturais continuam sendo utilizados em sua fabricação;
  • De silicone: a matéria prima, por não ser reciclável, vai ser descartada em
    algum momento, portanto, mais poluição.
  • De bambu: é uma alternativa altamente vantajosa, pois provém de fonte
    renovável (o bambu). É reutilizável, lavável, natural e leve.
  • De palha: é saudável para o corpo (se for palha orgânica), leve e
    biodegradável.
  • De vidro: é reciclável
  • De metal: apesar de menos leves, podem ser feitos de aço cirúrgico, alumínio e inox. Eles não são tóxicos e há diversos modelos e tamanhos.

A Caule passou a comercializar os de bambu nacional, feitos no Brasil, artesanalmente. O bambu é colhido, passa por  fervuras, depois
é exposto ao sol por 15 dias e recebe um tratamento com maçarico e as extremidades são lixadas.

Apesar da aparência frágil, o bambu é considerado o concreto natural, portanto pode durar a vida toda se forem adotados processos adequados de higienização. O correto é lavar e deixar secar (preferencialmente ao sol) para evitar a proliferação de fungos na parte interna. Eventualmente pode-se ferver.

Os de inox, que caíram no gosto popular, diferem dos de bambu na questão, sobretudo, do impacto ambiental da mineração, que é bem maior. Além disso, Janine Schmitz, idealizadora da Caule, dá outras razões para optar pelo canudo de
bambu: “Se a pessoa nunca usou o canudo ecológico, é bom começar com o de bambu para ver se realmente ela usará. Porque se a pessoa compra direto o de inox e não adquire o hábito, ou seja, não coloca dentro da bolsa, é pior do que usar o canudo de plástico, pois ela comprou o de metal, não usou e ainda vai continuar usando o descartável”, alerta.

Entenda melhor porque preferir os canudos ecológicos

Os cientistas já alertaram: se o consumo de plástico continuar no mesmo ritmode hoje, haverá mais desse material do que peixes nos mares até 2050! Os canudos de plástico podem não ser o principal problema quando o assunto é poluição por plástico nos oceanos (representam cerca de 0,03% desse tipo de resíduo), mas funciona como uma porta de entrada para discussões mais profundas. Por isso o apelo é tão significativo.

Além de ser fonte de formação de microplástico (o formato mais prejudicial), os plásticos causam danos físicos aos animais, liberam elementos químicos cancerígenos, podem causar distúrbios hormonais e provocam sérios danos aos corais.

Em busca dos corais - Netflix
Em busca dos corais – Netflix

Saiba mais sobre assunto para orientar

Se quer saber mais sobre o assunto conheça nesse link a Campanha do Greenpeace “Não sugue a vida dos nossos oceanos”:

greepeace

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *