Para 2019 ser melhor falta pouco!

Para 2019 ser melhor podemos refletir sobre onde estamos e como chegamos onde estamos. E então programar os objetivos/a rota para o novo ano que chega. Esse, portanto, é o momento propício para falarmos de crenças limitantes.

Crenças limitantes

O que não deu certo? Por que não deu certo? Desistir ou ressignificar? Partiremos desses questionamentos para expandir nossos objetivos e, sim, concretizá-los.
Afinal, o que são essas tais crenças limitantes? São crenças que nos limitam numa zona de conforto e segurança ou aquela desculpa para não realizar aquilo que realmente queremos. Pensamentos do tipo: “não tenho mais idade”; “é tarde demais”; “não tenho conhecimento suficiente”; “é tudo muito complicado”; “já tenho muitas responsabilidades”; “ não tenho tempo para isso”; “nunca deu certo”; ”estou fora de forma” ;“não estou preparada”; “não sei por onde começar”; “não tenho dinheiro para isso”, são alguns exemplos.

Para 2019 ser melhor é preciso estar atenta à tendência a esse tipo de pensamento, a esse tipo de crença limitante. Tais pensamentos frustram e dificultam as realizações. É preciso ir além para encontrar soluções em cada um desses aparentes “fins de linha” e evoluir. Afinal pensamentos recorrentes são nutridos e acabam se tornando realidade: “Não tenho dinheiro para iniciar um negócio” está dizendo que você não tem agora e não terá no futuro, mas focar no negócio e pensar: “como posso abrir meu negócio com o que tenho ao meu dispor?” abrirá os caminhos e te levará muito longe. A regra de ouro é: não desistir de você.

Persistência para seu 2019 ser melhor

Persistência para 2019 ser melhorPorém tem sempre aquelas pessoas que criaram não só um, mas vários negócios que não deram certo e por isso mesmo surge a crença que não dará certo porque também não deu outras vezes. Essa lógica é equivocada e perigosa. Não foram apenas as invenções de Thomas Edinson que ficaram famosas. Suas citações também: “Eu não falhei. Apenas tentei 10.000 maneiras que não funcionam”. Essa frase revela o quanto Edison tinha a crença num propósito.

Eu mesma passei por algo parecido. Sempre gostei ter independência financeira, então aos 13 anos comecei a trabalhar e não parei mais. Ora empreendedora, ora empregada. Aliás, essas são as duas únicas opções! No quesito empreender, costumo brincar dizendo que já fiz e vendi de tudo, exceto meu corpo e minha alma!
Experienciava as oportunidades até o momento que meu coração dizia “já deu!”. Claro que isso muitas vezes me preocupava, afinal também tinha receio de perder a credibilidade entre as pessoas. Mas se eu fosse me prender a isso, não teria chegado até aqui para relatar tudo isso a você.

Comecei a trabalhar com cosméticos naturais no segundo semestre de 2016. Sou formada em jornalismo e estava cursando pós-graduação em Educação e Meio Ambiente, mas estava apenas focada nos estudos porque tinha cansado de procurar emprego que alinhasse identificação ideológica com salário justo. Foi exatamente um momento em que me permiti uma pausa para que o Universo agisse!

Tenha uma visão!

Descobri a Caule pesquisando a temática do meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Naquele momento me interessei pela comercialização dos produtos porque tinha tudo a ver com os meus propósitos de vida. E melhor ainda: não havia representações nem em Maceió (minha cidade Natal), nem em Recife, onde eu morava. Só que eu não tinha como investir porque eu não tinha renda. Poderia ter desistido. Passei dias me perguntando apenas “como fazer?”, aí o jeito foi abrir o jogo para uma anja chamada Janine, que abriu suas asas para me abraçar e acolher minhas ideias. Foi assim que tudo teve início.

“Uau, vou abrir mercado! Vou inspirar pessoas para uma vida mais saudável, orgânica!”. Esse foi meu pensamento. Mas poderia ter sido “Não vai dar certo, ninguém vai comprar. Ninguém vai querer pagar mais caro”. Eu também poderia ter pensado: “Sou jornalista, pós-graduanda, como vou passar a ser vendedora de cosméticos? Ser feirante?”. Nada contra essas atividades, que são muito dignas, mas esse tipo de orgulho existe em muitas pessoas e é também uma barreira para uma nova alavancada profissional.

Apesar de eu nem cogitar me envergonhar de estar na feira, por exemplo, muitas pessoas ao meu lado expressaram preconceito, mesmo sem me dizer uma palavra diretamente. Porém, minha satisfação e amor por tudo isso sempre foram expansivos. E também contagiantes! Hoje algumas marcas, como Mentalize, Eva da Terra e Pimenta Rosa, nasceram de uma conversa inspiradora entre nós. Isso muito me orgulha!

Tenha metas!

Continuo trabalhando com a Caule, mas também criei, em novembro de 2017, minha própria marca de cosméticos artesanais, naturais e veganos, a Ekonativa. Eram três produtos. Hoje, um ano depois, são mais de 20. É engraçado, mas muito antes de eu entrar nesse ramo, eu já tinha a marca, sem saber o que exatamente seria. Um sopro divino!

Para 2019 ser melhor é importante ir além. Eu fui além: resolvi fazer um curso de Aromaterapia – outra oportunidade que trouxe muito conhecimento e tem feito maravilhas na minha vida! Hoje, mesmo almejando vôos mais altos, estou muito feliz com o que já consegui até aqui, sobretudo quando lembro de como estava antes de todos esses acontecimentos. Já aquelas experiências que deram erradas durante muitos anos serviram para reconhecer a oportunidade certa quando esta surgiu. Esse é meu entendimento.

O medo do nosso próprio poder

Então é importante identificar o que realmente te limita: desculpa – se responda honestamente porque não vai além, quais os benefícios de ficar onde está? – medo – medo de brilhar, nada óbvio, é um dos medos mais comuns. Como Nelson Mandela falou em seu discurso de posse depois de 27 anos preso.

Cape Town South Africa Monument Nelson Mandela
Monumento de Nelson Mandela na Cidade do Cabo, África do Sul

“Nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados. Nosso medo mais profundo é que somos poderosos além de qualquer medida.

É a nossa luz, não as nossas trevas, o que mais nos apavora. Nós nos perguntamos: Quem sou eu para ser Brilhante, Maravilhoso, Talentoso e Fabuloso?

Na realidade, quem é você para não ser? Você é filho do Universo. Se fazer pequeno não ajuda o mundo. Não há iluminação em se encolher, para que os outros não se sintam inseguros quando estão perto de você.

Nascemos para manifestar a glória do Universo que está dentro de nós. Não está apenas em um de nós: está em todos nós. E conforme deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo.

E conforme nos libertamos do nosso medo, nossa presença, automaticamente, libera os outros.”

Reconhecer a crença limitante é fundamental para diferenciar o que é uma crença a ser superada ou o que é de fato uma realidade que não pode ser mudada. Afinal, muitas vezes um objetivo está ao alcance de ser realizado e você só precisa deixar de ser a barreira do seu próprio caminho.

Coloque em prática

Para 2019 ser melhor é imprescindível superar as crenças limitantes identificando-as e analisando por outras perspectivas focando em soluções. Sendo crenças, é preciso questioná-las e perceber as consequências. Experimentar outras perspectivas, descobrir seu propósito de vida e reconhecer seu potencial. Sobretudo, é preciso ressignificar as experiências negativas, extraindo o que sempre há para aprender e evoluir. Do contrário, tudo o que for negativo e repetido será introjetado em nossa personalidade, sendo nocivo a nós e a quem está a nosso redor. Imagine como sairia Mandela depois de quase 30 anos preso se além das barras de ferro lhe prendessem as crenças limitantes.

Comece o novo ano com a mente aberta, experimente crenças fortalecedoras e novas atitudes para que tudo de melhor concretize-se! Realizações maravilhosas estão disponíveis para sua vida. Abra a mente para abrir as portas e embelezar o caminho e com certeza, acredite que é possível seu 2019 ser melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *