Movimento Lixo Zero afora o Brasil

O Movimento Lixo Zero apresenta: A baleia que arranha o céu!Movimento lixo zero e a baleia de plastico

Hoje compartilho com vocês uma foto muito especial, esta baleia linda feita de resíduos de plástico descartados. Eles foram “pescados” do mar nas redondezas do Havaí. A baleia se chama Skyscraper, tem 11 metros de altura, cinco toneladas  de plástico. Obra de arte construída pelo estúdio nova-iorquino StudioKCA. Hoje, ela está na minha querida cidade Utrecht, na Holanda, sua casa pelos próximos cinco meses. É com certeza um privilégio vê-la de perto e sentir a energia poderosa resultante do trabalho de designers talentosos. E também de centenas de “pescadores” voluntários. Seu objetivo? Nos lembrar que ainda existem 150.000.000 toneladas de plástico nadando nos oceanos do mundo. Sim… geramos muito lixo, e ele está em toda parte!

Há décadas vem-se falando da poluição por lixo de plástico, mas o que mudou tudo foi a possibilidade de se enxergar essa poluição. Infelizmente, ela ficou tão grande que ninguém mais pode negá-la. Felizmente, porque não se pode negá-la! Muito mais pessoas estão se comprometendo a gerar menos lixo e a reduzir o próprio consumo, de plástico e de tudo o mais que possa poluir nossa Terra.

Menos lixo, mais consciência!

Agora, falando de lixo em geral, você tem ideia de quanto produzimos de lixo, em média, por ano? Entre os países da União Europeia, a média é de 480 quilos por morador, por ano. No Brasil, essa média é de 378 quilos por pessoa por ano, e nos EUA, de aproximadamente 740 quilos por pessoa, por ano. Os altos números estadounidenses se aproximam dos números do país europeu com a maior produção de lixo per capita, a Dinamarca, com 777 quilos por pessoa, por ano. Gente, é muito lixo…

O que podemos fazer para ajudar nosso planeta?

Muita coisa! Especialistas recomendam que mudemos nosso próprio comportamento para diminuir o quanto descartamos. Ao consumir de maneira mais consciente, podemos nos antecipar no processo de reutilização, ou seja, reutilizar antes que os materiais sejam descartados. Assim também consumimos menos produtos novos, aqueles que utilizam matérias-primas para ser produzidos. No caso do plástico, que é um derivado do petróleo, ao diminuirmos o consumo de produtos novos, nossa dependência do petróleo também diminui. E isso, com o tempo, vai afetar até a disponibilidade de combustíveis. Tudo está interligado! Hehe.

Aprendendo com os gringos para fortalecer o Movimento Lixo Zero

Movimento zero lixo e brinquedos compartilhadosDa última vez que estive no Brasil, adorei encontrar muito mais brechós e lojas de produtos de segunda mão do que na vez anterior. Essa tendência do usado pode ser uma maneira muito eficaz de se consumir de maneira consciente. Me mudei para os Estados Unidos, há mais de dez anos. Já existia uma grande parte da população que buscava cortar custos na compra de artigos mais caros e exclusivos. Conheci muita gente comprando esquis de segunda mão online, para experimentar o esporte por exemplo. É mais econômico e ecológico do que investir em artigos novos sem saber se vai usar por tempo maior. E cortando custos, também poupamos recursos ambientais!

Mesmo aqui na Holanda, onde presentes e artigos infantis (feitos de plástico de maior ou menor qualidade) são acessíveis. Ainda assim o uso de artigos de segunda mão é generalizado entre famílias de classe média, principalmente aquelas com crianças. Meu filho, por exemplo, ganha presentes novos só no aniversario (ganhados dos amiguinhos) e no Natal, no Brasil. Aqui compramos tudo de segunda mão pra ele. E mesmo assim achamos que ele tem muito brinquedo, e estamos formando um sistema de rotatividade de brinquedos com os vizinhos. A ideia é todos poderem usar por um tempo o brinquedo de que gostam. Não é que todos os vizinhos tenham que comprar a mesma coisa porque “@ amiguinh@ tem”.

Compartilhar também é Lixo Zero!

Agora, o exemplo mais interessante, na minha opinião, é o de emprestar e alugar produtos que usamos poucas vezes no ano, ou na vida, como uma furadeira elétrica para furar parede de concreto. Uma startup fundada em Amsterdam, disponibiliza uma plataforma em que moradores de uma mesma vizinhança podem se comunicar e emprestar (ou alugar) tais produtos. Pense bem, quantas vezes na vida vamos precisar de uma furadeira com a potência de furar uma parede de concreto? Três vezes por ano? Então uma furadeira dessas por vizinhança é suficiente!

O mesmo se aplica a máquinas com jato de água de alta potência, que usamos para lavas as pedras do quintal uma vez ao ano, no começo da primavera. E muitas outras coisas também entram nessa lista, como por exemplo tendas grandes, mesas e cadeira dobráveis para festas, e cortador elétrico de arbustos. Como muitos desses artigos são de uso sazonal, na alta temporada a solução é alugar ao invés de emprestar. Os benefícios ambientais são excelentes, e ainda se pode ganhar um dinheirinho extra ou ter menos coisas empilhadas em casa, ocupando espaço.

O Movimento Lixo Zero é uma forma de ir sempre além

Além de produtos de segunda mão e dos hábitos de emprestar e alugar, existe na Holanda uma forte tendência contra o que é descartável. Em primeiro lugar, porque muito do que é descartável é feito de plástico, e já sabemos do problema da poluição. Em segundo lugar, o que dura mais custa muito menos em longo prazo e poupa recursos naturais!
Essa tendência, diferentemente das furadeiras superpotentes, se aplica ao que usamos todos os dias, o dia todo, como guardanapos, lenços, copos e garrafas, inclusive os portáteis.

Aqui se consome muito café, pelo clima mais frio e escuro. Então muitas lojas de produtos orgânicos vendem copos e garrafas térmicos, além de garrafas para água, produzidos com materiais duradouros e ecológicos.
Lenços de bolso, de tecido orgânico, são também bastante populares e encontrados em muitas lojas comuns, assim como os guardanapos para refeições. Já lenços umedecidos para bebês e crianças pequenas são substituídos por toalhinhas quadradas tipo luva, que são molhadas em água morna e guardadas em recipientes térmicos para serem usados dentro e fora de casa. Com tantas opções, fica mais prático e acessível diminuir a pegada ecológica.

E a boa notícia?

Você também pode fazer isso aí no Brasil, obviamente! Já viu os canudos ecológicos reutilizáveis da Caule? São essenciais para pais com crianças pequenas, e também para os happy hours. Sim, você pode e deve levar seu canudo reutilizável com você ao bar/boteco/restaurante.  E combinar com os vizinhos sem que todos tenham que comprar a mesma coisa.
E a caneca super prática  da Caule pra levar para o escritório e esquecer os copinhos de plástico de vez? Ainda tem as fraldas ecológicas, os absorventes reutilizáveis e muito mais. Além da escova de bambu, biodegradável.

Marina_HolandaA AUTORA (Marina Scatolin): Além de investigar o consumo consciente no mundo, é amante da vida e da natureza, vivendo há onze anos fora do Brasil. Atualmente morando no segundo país estrangeiro, aprendi a admirar as formas da natureza nas quatro estações (até nos longos invernos subzero!). Além disso, observando
as expressões culturais de diferentes povos, estou aprendendo a viver uma vida mais leve e sustentável a cada dia.
É mãe do Gabriel, esposa do Rafael, e empreendedora de nascimento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *